Estado de flow: como atingir o ápice da produtividade

estado-de-flow

A busca por maior produtividade é algo constante nas empresas. Aliás, quem é familiarizado com conteúdos sobre gestão sabe que são vários os fatores que afetam o desempenho dos funcionários. Equipamentos, rotinas, recursos e instalações adequadas, por exemplo, fazem toda a diferença. Dessa forma, podem influenciar também no alcance do chamado “estado de flow”, considerado o ápice da produtividade que todos almejam.

Conheça, neste artigo preparado pela iPlace Corporativo, mais detalhes sobre o conceito e como estimulá-lo na sua empresa.

 

O que é estado de flow?

O estado de flow, ou estado de fluxo, é um conceito criado pelo psicólogo húngaro Mihaly Csikszentmihalyi em 1975. Em linhas gerais, designa um estado mental de foco intenso, imersão, prazer e alta produtividade ao realizar uma tarefa. A pessoa se sente energizada e nem percebe o tempo passar. O fenômeno é mais comum com artistas e atletas, mas também pode ser percebido em muitas outras áreas de atuação.

No entanto, o verdadeiro estado de flow não é tão fácil de ser alcançado. Para tanto, em primeiro lugar, é necessário que a atividade a ser realizada combine desafio e habilidade. Ou seja, a pessoa precisa encarar a tarefa como algo a ser superado. Logo, demandas muito fáceis não servem a esse propósito.

Porém, ao mesmo tempo, não pode ser uma atividade além das capacidades de quem vai desempenhá-la. Em outras palavras, o estado de flow exige que uma tarefa muito desafiadora seja executada por alguém igualmente preparado.

Além disso, o fenômeno requer que outras cinco características estejam presentes. São elas:

  1. Concentração intensa na tarefa;
  2. Sinergia entre ação e consciência;
  3. Sensação de plenitude e controle;
  4. Percepção distorcida do tempo;
  5. Satisfação pela execução da tarefa (e não necessariamente pelo seu resultado).

 

Alcançando o “flow”

Embora não seja exatamente fácil de ser alcançado em sua plenitude, o estado de flow pode ser praticado e induzido. Inclusive, isso é especialmente útil no trabalho em empresas, onde há a possibilidade de o ambiente ser controlado e reconfigurado. Portanto, gestores que queiram obter a máxima produtividade de seus colaboradores podem recorrer a algumas diretrizes de fácil implementação. Confira:

 

Encontre a tarefa certa para cada equipe

Para atingir o estado de flow, os colaboradores devem ter ocupações ajustadas aos seus gostos e capacidades. Isso, claro, nem sempre é possível, mesmo porque o dia a dia de uma empresa envolve tarefas diversificadas. Porém, o ideal é que pelo menos algumas das atividades sejam otimizadas segundo o perfil do colaborador.

É importante lembrar, também, que o baixo rendimento de um funcionário pode se dever à sua subutilização. Ou seja, por desempenhar continuamente tarefas aquém de suas capacidades, ele acaba perdendo o foco e a motivação.

 

Fomente o treino – e tenha paciência

Como já foi descrito, o estado de flow requer não apenas um grande desafio como também muita habilidade. Logo, não há como esperar alto desempenho de equipes iniciantes. Por isso, a melhor forma de conseguir boa produtividade é seguindo a máxima “a prática leva à perfeição”.

Estimule os funcionários a ter um processo de aprendizado, com tentativas, exercícios e análises de desempenho. Invista, também, em capacitações. Dessa forma, aos poucos, a equipe poderá atingir a plenitude produtiva.

 

Forneça ambientes adequados

Não é segredo nenhum que um ótimo fluxo de trabalho exige foco. Então, espaços com muito barulho e outras distrações são considerados inimigos do estado de flow. O ideal é que a empresa forneça aos seus funcionários ambientes confortáveis e silenciosos. Caso isso não seja possível, o uso de fones de ouvido pode ser uma alternativa. Afinal, é comprovado que sons calmos e em alguma medida repetitivos, como o barulho da chuva, estimulam a concentração.

 

Estimule o descanso

Por último, mas não menos importante, é preciso lembrar que equipes precisam estar com a saúde em dia para serem produtivas. Só atinge o estado de flow quem está descansado. E isso envolve o uso adequado das horas fora do ambiente de trabalho. Portanto, uma opção é propiciar aos funcionários palestras com especialistas que informem sobre as melhores formas de descansar. Certifique-se que seus colaboradores estão conscientes da importância dos quatro tipos de descanso: mental, social, espiritual e físico. O conteúdo pode parecer óbvio, mas guarda orientações valiosas.

 

Foto: iStock/Ignatiev

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Veja também: