Startups: os prós e contras de manter o trabalho remoto

startups

Assim como o ecossistema e as soluções da Apple, o blog da iPlace Corporativo é pensado para organizações de todos os tamanhos. Portanto, aqui você encontra dicas e materiais voltados tanto a grandes negócios quanto a pequenas e médias empresas. Além disso, recorrentemente abordamos assuntos de interesse dos gestores de startups, como inovação, valor de mercado e expansão dos negócios.

Assim, hoje trazemos mais um artigo voltado a esse público, elencando os prós e contras do regime de trabalho exclusivamente remoto. Afinal, mais e mais startups vêm cogitando adotar o home office e o anywhere office em caráter definitivo. Consequentemente, pesar as vantagens e desvantagens dessa decisão é de suma importância.

 

Modelo remoto: 4 facetas que startups devem avaliar   

1.     Custos

Este é um item que pesa bastante a favor da adoção definitiva do trabalho a distância. Afinal, ao liberar a equipe para trabalhar de casa, já não há necessidade de um escritório central. Assim, os custos com infraestrutura física caem drasticamente – e essa verba pode ser destinada a outros fins. Aliás, investir em equipamentos mais adequados ao home office pode ser excelente opção.

2.     Colaboradores remotos

Startups lidam diariamente com inovação, mas nem sempre é fácil encontrar mão de obra capacitada no campo tecnológico. Inclusive, isso é ainda mais difícil quando o trabalho ocorre presencialmente, pois a empresa depende da disponibilidade de profissionais naquela região. Já o regime remoto elimina essa barreira geográfica e permite, em tese, a contratação de colaboradores até mesmo de outros países. Porém, nesse caso, uma faceta negativa é que o salário pago em reais pode não ser competitivo no mercado internacional.

3.     Produtividade

Ao contrário do que muitos gestores imaginavam, a adoção do trabalho remoto na pandemia não minou a produtividade das empresas. Aliás, em alguns casos, até a potencializou – já que, em casa, colaboradores podem ter um ambiente com menos distrações. Entretanto, é preciso lembrar que startups lidam com processos de criação, que podem ser mais eficientes com a equipe reunida.

4.     Cultura da empresa

A grande maioria das startups possui equipes pequenas, onde o senso de parceria e coletividade dá energia ao trabalho. Isso, infelizmente, é bem mais difícil de ser alcançado no regime a distância. Especialmente quando os integrantes do time nunca chegaram a se conhecer e trabalhar juntos presencialmente. Portanto, é preciso frisar que a cultura da empresa tende a ser prejudicada no modelo exclusivamente remoto. Assim, pode ser interessante manter a possibilidade de encontros esporádicos, sob demanda, alinhando-se à proposta do trabalho híbrido.

Foto: iStock/Prostock-Studio

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Veja também: